quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Plano de aula - tema: Língua escrita: prática de produção de texto


Nível de Ensino: Ensino Fundamental
Disciplina: Língua Portuguesa
Tema: Língua escrita: prática de produção de textos

Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula
Conhecer a organização linguística dos gêneros carta, bilhete e-mails (local, saudação, mensagem, despedida e assinatura) e convite.

Identificar e diferenciar o registro de linguagem (formal/informal) na escrita de cartas, bilhetes, convites e e-mails.

Produzir os gêneros estudados para serem enviados a diferentes destinatários, empregando adequadamente o registro da língua (formal ou informal)

Usar o computador e a internet para fazer o endereço eletrônico da turma e dos alunos, a fim de que possam manter a comunicação online entre eles.

Perceber as diferenças entre a modalidade oral, usada por meio do registro informal, e a escrita, com o registro formal, empregado nos gêneros estudados.

Duração das atividades
9 aulas de 50 minutos

Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
Domínio da leitura e da escrita de forma independente. Consideramos que os alunos já tiveram contado com os diferentes gêneros que circulam pela escola, por meio dos bilhetes que são enviados aos pais, acesso ao computador, tendo em vista que muitas famílias o possuem e têm experiência com o uso da internet e do e-mail. Além disso, os alunos têm atividades de aprendizagem no Laboratório de Informática desde a Educação Infantil.

Estratégias e recursos da aula
a) Filme Central do Brasil (Brasil-1998). Direção: Walter Salles. Elenco: Fernanda Montenegro, Vinícius de Oliveira, Marília Pêra, Othon Bastos, entre outros.

b)Laboratório de Informática
Aula 1, 2 e 3 – aproximadamente - de 50 minutos cada

Atividade 1
Assistir ao filme Central do Brasil, que denuncia o analfabetismo presente na realidade brasileira.
Aula 4 - 50 minutos

Atividade 1
Discutir com a turma as seguintes questões sobre o filme:
a) A importância do gênero carta usada como único meio de comunicação para contar acontecimentos, sentimentos e emoções entre os personagens do filme, pessoas distantes físicas e geograficamente.

b) Explorar as diferenças entre registro formal e informal, mostrando como as pessoas do filme falam e como a protagonista escreve, explicando que, muitas vezes, escrever é diferente do falar e, ainda, que a linguagem (formal/informal) empregada na escrita de uma carta está diretamente relacionada ao grau de familiaridade que se tem com o destinatário.

Obs.: Este poderá ser o momento de chamar a atenção do aluno para o fato de que cada pessoa tem seu jeito próprio de falar e escrever, usado para comunicar. Mas que em determinadas situações, como, por exemplo, quando escrevemos uma carta para o prefeito de nossa cidade reclamando de algum problema em nossa rua ou nosso bairro, o registro usado é diferente, é o registro formal, a modalidade de acordo com a norma padrão.

Aula 5 – 50 minutos
Atividade 1
Usar mapas ou acessar sítios para que os alunos localizem os estados onde acontecem os fatos do filme.

Aula 6
Atividade 1 - 50 minutos
Na aula anterior, pedir aos alunos para trazer bilhetes, convites e cartas recebidos pelas famílias.
Selecionar estes gêneros para leitura e análise em sala de aula.
Analisá-los com os alunos, para que identifiquem as condições de produção: quem, quando, de onde, o quê, como e para quem foram escritos

Aula 7
Atividade 1

Propor diferentes situações concretas de comunicação para que os alunos escrevam cartas, bilhetes e convites, que tenham diferentes destinatários. Poderão ainda criar convites para a comunidade, convidando para visitar exposições, comemorações, entre outros eventos ocorridos na escola; ainda escrever bilhetes para professores, justificando a ausência às aulas; escrever cartas a escritores que geralmente visitam a escola para conversar com os alunos sobre suas obras, isto pode ser feito também pelo e-mail do escritor convidado;ou mesmo incentivá-los a escrever cartas para colegas de outras escolas, cidades, enfim, são atividades que propiciam ao aluno vivenciar a escrita nas situações reais de interação.
Socializar a produção com a turma.

Aula 8 e 9
Atividade 1 – 100 minutos
Motivação:
Fazer um levantamento com a turma para saber quem conhece ou possui e-mail. Perguntar ainda se eles sabem criar um correio eletrônico.
Obs.: Se a turma não possui domínio para utilizar esta tecnologia, é precisa que o professor ou outro profissional da área da informática ensine a usar a ferramenta que cria e envia e-mails.

Atividade 2
Mostrar aos alunos diferentes e-mails para identificar suas condições de produção: quem, o quê, como, quando, onde o escreveu, por meio das questões:
a) qual o endereço eletrônico do remetente e do destinatário?
b) qual o assunto, a data e o horário da mensagem?
c) que expressões foram usadas para despedida? Há assinatura?
d) Há assinatura?
e) Analisar em que situações a linguagem e as abreviaturas, típicas deste gênero, foram usadas. Isto é, mostrando a linguagem (formal/informal) usada nos e-mails.

Obs.: Se a escola não dispõe de computadores nem de internet, é possível fazer adaptações, por meio de xerox, a esta proposta.
Criar o correio eletrônico (e-mail) da turma.
Criar situações para que o aluno use o e-mail para se comunicar com diferentes internautas.

Recursos Complementares

Avaliação
O professor observa o interesse e a participação do aluno no desenvolvimento das atividades e, por meio das produções, verifica se ele aprendeu a usar os diferentes gêneros estudados nas situações propostas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário